Sensação

Eu sinto gosto de ferro na minha boca
Deve ser dessa dor
Causada por isso
Que parece ser um prego enferrujado fincado no meio do meu coração

Eu sinto cheior de sangue
Pois essa dor faz parecer
Que eu estou sangran´do
Por um ferimento fatal

Eu sinto o tque da morte
Que fica me rodeando o tempo todo
Eu quero que isso pare
A dor de não estar com você

Eu vejo ferimentos na minha lama
Vejo com desespero
E não vão se curar
Pois são todo dia reabertos

Eu ouço as batidas do meu coração
Tão altas que parecem terremotos
Batidas sôfregas
Tão fortes que fazem, todo o meu corpo tremer
Parece que eu vou morrer
É como se eu estivesse doente
Isso é ter você por perto sem estar junto

O que eu sinto, vejo, ouço, toco é amor
Eu só sinto vida quanto te sinto, vejo, toco e ouço
Eu te amo

Inferno

Eu quero ter coragem
de me matar
Suicídio!

Meu inferno de vida
Não permite
Amor, honra ou decência
Deus não permite
o amor que eu necessito

De volúpia eu me cerco
mas o fogo em mim
faz de mim
Um descontrolado

Se não me controlar
Vou ficar e ser insano
Louco e doido

Eu em vida estou morrendo
Sentimentos descerebrados
Irracionais

Meu corpo não me responde
os sentimentos se misturam
eu não sou mais
Meu

Eu preciso de alguém
Pra me tirar
Deste “Inferno de Amar”
Iferno de amor

Eu Amo
Eu Teso
Eu Paixão
Eu Nada
Eu Tudo
Tudo tão confuso
Nada certo.

Eu amo o que antes odiava
Motivado por ter me perdido
não tenho também coragem
pra por fim a esta loucura
me matando ou confessando

Me matar
sei que não quero
sei que às vezes penso nisso
Pena!

Deus não me ajuda
Destino não me ajuda
Eu não me ajudo
ninguém me ajuda

Vou me perdendo em meu coração
E meu oxigênio é Paixão.
Derivada do amor.
Paixão.

Triste Fim

Eu sinto
Eu sei
Eu te amo
E agora
Eu preciso de você
Para sempre eu tenho precisado

Estou te esperando
me abraçando
Odiando a verdade
E nunca perdendo est sentimento

Eu nunca te tive
como eu sonho
como eu quero
como eu preciso
Você me ama?
Me responda por favor
Por favor me destrua ou me reviva

Oh me faça uma pessoa real
Diga-me se você sente ou não
Diga o que eu ainda não sei
E eu nunca vou esqucer as palavras
Como eu nunca vou te esquecer

Você minha verdade
Minha própria vida é a morte
Uma morte que pode se transformar em uma vida vívida

Para explicar meu coração
Sua lembrança está dentro dele
Fazendo ele
Bater, chorar, gritar e
a dor me enchendo

Porque?
Porque eu não posso saber?
Eu vou morrer
Não sobreviver
Eu não estou vivo

Minhas lágrimas são tão fortes
como eu sou fraco por não te ter
Meu choro é tão forte
como eu sou pequeno
Decrescido pelo meu sentimento
Destruído por não te conhecer

Doce lembrança de quando te vejo
Maravilhosas noites são as em que eu sonho sobre você
E incrível é estar perto de vocÊ
Tão perto e tão longe
Tão perto do desespero
Tão perto de
Eu não sei o que pode acontecer.

Ano a ano eu estou ficando louco
Este sentimento apenas aumenta
Eu sou o amor por você; eu não sou mais eu.
Eu não sou meu.

Escuro

Depressão
Eu sinto isso em meu
âmago
E vejo refletido
Em minhas lágrimas
Mesmo as que estão
dentro de mim

O que há errado
comigo?
Que há para que minha vida seja
um pesadelo?
O que torna de tudo à minha volta
o inferno?
Que tenho eu para não ser
amado?
E ter que suportar ver em meu redor pessoas com suas
paixões correspondidas?

Quando eu fui jogado neste
canto escuro?
Porquê eu amo?
Porque meu coração insiste no que só o leva
à dor?
Como suporto?

Eu amo
Sempre amarei
Amarei pra sempre
Esse amor enterrado no escuro
do meu coração
Esta recorrente corrente de desespero

Escuro que dá ódio do mundo
Escuro que gera inveja múltipla
Escuro que faz de mim sombra
Escuro que mata homeopaticamente

Escuro cheio…
de forças diabólicas que renego por amor.
de incontidas mágoas.
de cortantes lâminas sanguinolentas.
de desabafos em folhas de papel.
de sonhos que eu queria para
de sonhar; mas não consigo, de tão bons que são.

Vivo a me enganar.
Vivo vagando sobre possibilidades
não-confirmadas.
Vivo pelo amor.
Vivo sem amor.
mas querendo.
Vivo sem entender nada.

Sem entender o mundo
de pessoas-clones-cópias-xeroxes.
Mundo de sempre sexo e nunca amor.
Mundo de auto-anulação por auto-preconceito.
Mesmo mundo que não tem ninguém pra mim.

Ninguém pra ser só meu;
pra ser fiél; pra beijar; pra fazer carinho; pra ficar comigo;
pra m desejar; pra me tratar bem; pra me chamar de namorado; pra eu poder dizer que
é minha namorada a outros; pra querer ficar comigo pra sempre…

É a única coisa que eu quero.
Mas continua a me ser negado.
Eu sou rejeitado.
Dor que estripa meu coração.
Que estirpa minha alma
do que sou eu.. me torna ninguém… me tona nada.
Apesar da infinita necessidade de poder
Com extrema felicidade
Com vida
Dizer:
Eu te amo!

Fuga

Eu estou todo rachado
Quebrado
Arranhado
Gritando

Só não morto por ter esperança
Minhas dores dóem e a dor delas é dolorida em mim
Eu cairei em cacos
Para me restaurar para quebrar de novo
Eu fazia isso
Agora já não sei se sou capaz

Meu coração está em ventos em chamas
Meu corpo com uma imensa hachura o partindo ao meio

Sangue fluindo pelas arestas
Deixadas na minha alma
e lágrimas a formar poças no chão sujo dos meus podres restos decaídos

E a morte não me deixa
Mas tudo que eu posso fazer é esperar
O amor tudo espera e tudo supera

Tudo está tão parecido a um pesadelo
Real, como se eu tivesse morrido e estou no inferno
Será isso?

Jesus me salve
Deus Jeová
Guia-me
Pois me perdi no mar de trepadeiras espinhosas que se tornou minha vida
Caí num escuro abismo de desespero e cansaço

Medo do meu futuro
Queria asas para fugir
Me esconder
Me esconder até de mim mesmo
Leva-me

Que Fazer

Eu não sei mais o que escrever
Não há mais o que fazer
Eu queria que essa coisa desesistisse por um tempo

Oras ver o sol e me sentir grato por ele me permitir viver
Ver as estrelas e me sentir uma delas
Ouvir falar de anjos e ouvir sua voz no meu íntimo

Oras estar quente como o próprio inferno
Quente de maneira a lembrar ruínas
Mais áspero do que se imagina que uma dor pode ser

As chamas que queimam incendeiam minha alma com paixão
Sonhos vermelhos que mergulharam meus olhos em ácido
São sonhos perdidos

As lágrimas mataram-se em seqüência
Amargaram minha essência
Mas onde me levarão?

Eu estou esquecido num mar de iras entristecidas
Amassado pela minha esperança
Célere

Nada vai enxugar minha face o bastante
Nada vai amenizar as rusgas na minha crença
Essas feitas de farpas de palavras retorcidas

Eu quero ar pra respirar
Espaço pra andar
Cores pra ver
Calor pra sentir
Amor pra amar.

Paz de Sangue

Estou aqui no meio desse monte de bagunça
Esta bagunça (homeostática) que é o mundo
E dentro de mim o vazio
Que é você, nós

Nós não existe, é vazio
Isso pesa
Sangra, mata, destrói

Os nós da minha garganta
feitos por palavras suas que eu imaginei
mas não queria ouvir
Não ouvi, mas imaginei e já foi o bastante

Pra um mar de lágrimas
que derramei em segredo
no meu travesseiro cheio de sangue imaginário
De meu suicídio utópico
E você não nunca chegou a saber
Talvez nunca saberá

O mundo gira
e pra mim cai
Agora que penso em você
pois, infelizmente, pensei em te esquecer

As roupas dobradas no guarda-roupa
Sugerem companhia
Mas minha mente ignora os fatos
E junto de todos me sinto sozinho e isolado

Todos aqueles beijos que imaginei
Talvez não os tivesse criado
misticismo
Mas talvez se realizassem

Nos sonhos
Numa terra quente e fria
Nós calor e frio nunca nos encontramos
Será assim?

As folhas amassadas em algum canto da esperança
Dão origem à real imagem de cartas
Escritas e que amassei
Pois esperança assim é um martírio.

O ódio e a ilusão
Nunca se encontram
Mas meu ódio a mim
por minha ilusão de você…
E músicas esquecidas
Que me fazem lembrar o que eu tinha esquecido
Você, que realmente nunca consegui esquecer

O real não existe pra mim
Acredite, é nisso que eu penso
Podia ser verdade
Mas o real é pior que a ilusão
Quero viver meus sonhos
Mas a realidade me segura e prende
Eu podia não existir.

Melancolia

O sangue escorre da morte escondida dentro de mim
Me esfaqueando, matando
Quem a atraiu foi o amor,
o amor me prometeu traí-la,
e não o fez

Me faz chorar, me mutila por dentro
Se pudesse decaptaria-me deste sentimento
Ah, que dor, este não quisto suicídio lento
Lento, lento

Lágrimas nos meus olhos
Pus no meu espírito
Talvez eu esteja me violentando
O talvez é só imaginação, utopia
Estou me violentando
Me destruindo
Me demolindo
Pois assassinar este amor é assassinar-me a mim mesmo

Minha alma solitária
carrega as sementes da destruição
No amor está o apocalipse

Medo do medo
Não quero ter medo
Mas morro de medo de sentir o que estou sentindo
Eterna negação dolorida
Coração corroído
Cheguei ao fim sem morrer.

Esperança

Pense que sonhos são possíveis
Desenhe os seus
Que esse desenho seja o espelho de sua alma
Agora apague-o
Você está errado
Sonhos morrem.

Esperança é nunca desistir de algo
Esperar
Se se espera não acontece
Esperança é esperar algo inalcansável

Dor só é conhecida no amor
Desistir é acetar morrer
Estou desistindo agora
As lágrimas caem e molham o não
Antes impensável agora já imaginável
O não me consome

Tudo que eu queria e esperava ouvir
Agora esquecer
Tudo que eu podia dar ao mundo
Descobri não ser possível para minhas forças
Tudo que esperam de mim é falho
E tudo que o mundo podia me dar morreu

Morreu no momento em que aceitei não ser feliz
Sou agora apenas uma esperança que de lutar cansou
E de esperançar desistiu

Um dia eu sei, eu vou cair
Já por muito esperei esse dia
Pois já não agüentava esperar
Agora sinto minha dor me derrubar

Escrever é meu desabafo
Dor é meu castigo por desistir
Esquecer me é impossível

Leia nos meus olhos o amor
Verá que cansei de esperá-lo
Serei infeliz e sei e não mais importa

Nunca me foi possível amar e ser amado
Não me foi possibilitado o dom de despertar amigos
Não tenho nada de mais
Nem de mau
Mas bons também sofrem

Não peço mais nada
Mortos não pedem jamais
Não nego mais a mim a falha da crença
Não desejo mais sabedoria dos sentimentos de ninguém por mim
Nem quero desesperadamente terminar escritor
Nem quero terminar bem
Me conformo em terminar
E que não demore
Não, já não espero mais nada

Mas ainda tenho a tal maldita esperança, e dolorosa
Maldição!, eu quero ser salvo.