Isso Machuca

Machuca descobrir
Que
Ninguém vai
Me amar da maneira que eu
Mereço

Você não me ama
Mas eu persevero
Olhos
Abertos para ver você ir
E eu tentei eu chorei eu tentei eu morri
Eu

Então vamos, páre e se desligue
Minha vida não precisa
de Rejeição
Então encha sua mochila e fuja
Fuja para seus erros
Erros

Isto paraliza
Quanto tempo eu temi
A maneira como chorei
Mas isto machucou e me empurrou para meu lugar, encheu meu desejo com sua instável… maneira

Então chore o dia todo
Porque eu vou chorar da minha maneira
Eu vou me rebelar contra, você vai dizer
Você não vai mais me reconhecer

E eu vou mostrar e jogar pra longe sua alma do meu atormentado inteiro
Coração
Eu sou um fantasma

Erros
Oh, Deus
Meu coração, sou um fantasma
Você nunca vai saber disso
Eu vou fingir e ir

Você vai pensar que eu estou vibrante e supor que eu estou atualizado
Supor, mas isto machuca
Atuar e não sentir machuca
Amar você ainda machuca

Então eu vou, eu vou, eu vou
Eu vou
Eu vou cobrir meus machucados

Anúncios

Incêndio Pulsante

Vejo o sol brilhar
E sinto meu pulsar
Ao notar o calor solar e o meu
E a paridade de forças do fogo

Me ardo no fogo celestial que
incendiou o inferno
E queimarei quem não fugir pra enfrentar
Mas as chamas aquecerão sem prejuízo
Aos que ficarem do meu lado

Meus olhos vermelhos estão vendo
O rio de água fervente que de mim desce
Está indo para meu coração

Meu coração que bate por flamas alheias
Não há páreo para a purificação flamejante
Ou limite do calor de um sorriso
E esse calor eu quero
E o mormaço de um abraço
Ou amasso

Nada de cinzas depois
Há elementos intermináveis
Eternas puras explosões
De alegria, de felicidade e coragem
Saturação de lava sentimental
Um gêiser que se espalha

E o que quero
Calor corpóreo
E mais
Calor dos sonhos

Obsessão

Me mate, me mate, me mate
Eu não quero morrer
Mas amor, me mate
Pra que só exista você nesse corpo

Você, que é o verdadeiro dono
Nunca minha alma
Ou você é minha alma?
Mas eu me sinto dois!

Obsessão
Que emoção!
Que tesão!
Loucura
Palavras, sumam!

Não me controlo e digo
Elevo a obsessão vergonhosa que me domina
Você
V
o
c
ê

Vou me morder e me comer
Pra comer o você que há em mim
E me foder
Mas não me apaixonar por mim mesmo

Eu sou um pesadelo
Ou será que é o mundo que é?
Devo estar dormindo enquanto morro
Se for isso, alguém me acorde para eu poder ver meu coração ser arrancado
E eu vencer sobre, finalmente!

Deus, lave-me, lave minha íris
Pra que eu páre de ver o mundo sujo que me tomou o que é meu
Ou lave o mundo sujo e dê-me o que é meu

Meu, ó meu, ó meu
Vou escrever com meu sangue até você me querer
Vou te chupar até você me matar
Concretizando assim o ato de dominação final
Que diz que sou seu, então brinque com minha vida

Mas não me afasta porque um vício vai me tragar
Eu te amo! Eu te amo como amo sofrer por você
Tudo que se liga a você me fulmina
Eu quero que você morra pra que esse meu querer tenha se realizado
Então me ame pra que eu possa evitar viver minha vida

Mas, na verdade
Eu só te amo
A sensação é potente como os versos
Mas o amor é puro.

Destino

Eu posso dizer o que já passou
Cada lembrança que guardo, uma pétala bailando
Os dedos que o destino usou para que ocorressem
O destino feliz de te encontrar
Meu destino, que orgulho!

E agora, sei que só essa mesma porta pode continuar o que começou
Cedo o controle de minha vida
Ventos trazem seu cheiro, um sinal
Lembranças se peneiram do nada em minha mente
E eu só vou seguindo; no ritmo da partitura

Tudo vai se resolver
É praxe nessas coisas de fado
Uma coisa não acontece duas vezes do mesmo jeito
Um dia, sabe, as coisas vão dar certo pra nós dois

Minha sanidade está perdida
Meus versos são grãos de areia ao vento de uma tempestade
Claro que tudo ainda pode piorar antes de melhorar
Irá melhorar. Fato.

Delírios de um coração febrio de amor? Talvez.
Me arrastando, implorando, de joelhos, sigo
Esperando enquanto meu desespero se esconde na esperança
Buscando lembrar só o bom, só o bem.

Destino
Sei que posso estar enganado
Mas os indícios são de que minha vida é essa
Nossas vidas estão entrelaçadas
Minha e de quem eu amo
Quem sempre me ama ou amará
Não vale a pena eu tentar dizer não
Existe essa entrada triunfal na minha vida
Essa com pétalas caindo dos céus, cavalos brancos, sol radiante, multidão em polvorosa e roupas majestosas
Meu destino; meu amor
Eu só quero chegar a ele.

Mais…

O amor fez de mim cego
Notei que podia ver o sol
O sol que há tanto não se via
Desde que nasci e não amava

O amor me pegou
Me jogou e eu caí
Caí no amor
Agora eu quero mais

Eu achava fácil viver
Agora sei que amar é viver
E não tinha vivido ainda

Eu morri ao te ver
Longe de mim
E nasço ao ver você em mim
Tão em mim
Peço mais

O amor é uma canção
Que entra nos ouvidos da alma
E chega por nós aos anjos
E volta com suas vozes
Ecoando embalos calmantes

O amor agita o peito
Afoga o ser no sentimento
Eleve à dor
Que na verdade é só a paz

Sentir isso é sorrir
Sorrir tanto que se sente
Feliz

O amor me fez voar
E eu aprendi sozinho
Mas ele é minhas asas
Tudo que eu fiz foi as abrir
Eu nasci no mundo
Vivi na Terra
Caí no Paraíso
E agora eu quero mais.